Archive for the ambiente Category

Plantas estão a florir mais cedo do que dizem os modelos climáticos – Ecosfera – PUBLICO.PT

Posted in ambiente, mundo with tags , , on Maio 3, 2012 by luisgoncalves

Plantas estão a florir mais cedo do que dizem os modelos climáticos – Ecosfera – PUBLICO.PT

ImagemOs modelos científicos não estão a ser capazes de prever o real impacto das alterações climáticas nas plantas, que florescem mais cedo do que o estimado, diz um estudo publicado nesta quarta-feira na revista científica britânica Nature. Continuar a ler

Guardar 500 mil sementes para o futuro

Posted in ambiente, ciência, mundo, tecnologia on Março 11, 2010 by serfranco

sementesÁrctico. Poucos dias depois de completar o seu segundo aniversário, o Global Seed Vault, o maior silo de sementes do mundo, instalado nas ilhas Svalbard, prepara-se para receber alguns novos milhares de amostras, o que o tornará no banco de sementes com maior diversidade genética.

In Diário de Notícias Continuar a ler

Anunciada a lista dos 25 primatas mais ameaçados de extinção

Posted in ambiente, animais, ciência, mundo on Fevereiro 20, 2010 by serfranco

primatasExistem mais de 630 espécies de primatas e, destas, mais de 300 estão ameaçadas de extinção. Mas, entre estas, a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) escolheu as 25 mesmo à beira do desaparecimento: cinco vivem em Madagáscar, seis em África, 11 na Ásia e três na América Central e do Sul.

In Jornal Público

Continuar a ler

Portugal: risco de grandes incêndios é cada vez maior

Posted in ambiente, nacional on Junho 2, 2009 by Bruno Oliveira

Ver imagem em tamanho realAnos catastróficos de 2003 e de 2005, em que o País esteve literalmente a arder, poderão repetir-se, alerta um consultor norte-americano que esteve duas semanas em Portugal para avaliar o actual sistema de combate a incêndios. Continuar a ler

Jiuzhaigou

Posted in ambiente, lazer, mundo on Março 19, 2009 by bitunfa

Jiuzhaigou, situado na província de Sichuan, China, é um local onde se encontram diversos animais e plantas raros. Para além da sua fauna tão rara, podem-se lá encontrar lagos de águas transparentes com tons de safira e esmeralda. O seu nome (Jiuzhaigou) significa “vale das nove aldeias”, porque antes lá tinham existido novo povoados.

Existe uma lenda que conta a história de um Deus Tibetano, que terá dado a uma Deusa um espelho polido pelas nuvens e pelo vento, mas que caíu ao chão. Os pedaços de vidro terão formado os 118 lagos de Jiuzhaigou.jiuzhaigou121

Umas das cataratas do Vale de Rize, tem quase 150 metros de largura, e o seu sou enche toda a atmosfera. Neste lugar paradisíaco, encontra nomes “mágicos” dados a lagos, charcos e cascatas.jiuzhaigou1

Fonte: National Geographic, Março 2009

Autora: Beatriz Taborda

Subida do mar ameaça Aveiro

Posted in ambiente on Março 19, 2009 by llli

      A subida do nível do mar, em consequência das alterações climáticas, está a processar-se a um ritmo maior do que o previsto. As estimativas anteriores não contaram Continuar a ler

Icebergue do tamanho do Luxemburgo desprende-se da Antárctida

Posted in ambiente, mundo on Fevereiro 27, 2009 by serfranco

IcebergUm icebergue do tamanho do Luxemburgo desprendeu-se, no início de Fevereiro, de um glaciar na Antárctida, depois de uma colisão com um outro icebergue, revelaram hoje cientistas australianos e franceses.

In Jornal Público

O icebergue – com 78 quilómetros de comprimento, 39 quilómetros de largura e uma superfície de 2500 quilómetros quadrados – separou-se do Glaciar Mertz, uma língua de gelo com 160 quilómetros. O icebergue que se desprendeu representa metade do comprimento da língua de gelo.

Tudo aconteceu porque um outro glaciar, chamado B9B, com 97 quilómetros de comprimento, colidiu com o Mertz, segundo os cientistas que detectaram o acontecimento no âmbito do projecto CRACICE (Cooperative Research into Antarctic Calving and Iceberg Evolution).

Imagens do satélite ENVISAT, da Agência Espacial Europeia, mostram a separação.

“Este evento em si não está directamente relacionado com as alterações climáticas mas está ligado aos processos naturais que estão a ocorrer naquela plataforma de gelo”, explicou Rob Massom, cientista da Australian Antarctic Division e do Antarctic Climate and Ecosystems Cooperative Research Centre, em Hobart, Tasmânia.

Desde 2007, ambas as organizações, em conjunto com cientistas franceses, têm estado a estudar as fracturas gigantes naquela língua de gelo – que já apresentava uma grande falha há duas décadas; uma segunda falha foi registada no início deste século – e a monitorizar a colisão pelo B9B. Este icebergue é parte de um icebergue gigante, com mais de cinco mil quilómetros quadrados que se desprendeu, em 1987, tornando-o num dos maiores da Antárctida.

Massom acredita que a fragmentação da língua de gelo e a presença dos icebergues Mertz e B9B podem afectar a circulação global oceânica. A área é uma zona importante para a criação de água salgada e densa, crucial para a circulação oceânica.