Adrien entra no meio-campo


Fraca exibição assinada diante da Naval na última jornada do campeonato deverá levar Romagnoli a …

A fraca exibição assinada diante da Naval na última jornada do campeonato deverá levar Romagnoli a baixar à condição de suplente na partida de Guimarães. O cenário mais natural e óbvio seria o argentino perder a posição para Izmailov, mas, em vez disso, perspectiva-se que abra a porta do onze titular ao jovem Adrien. É que, apesar de ter alinhado na derradeira meia hora do encontro da 24.ª ronda da Liga Sagres, Izma ainda não está recomposto da tendinite no joelho direito, e, desta feita, o departamento médico só lhe dará luz verde, quando o problema for debelado de forma inequívoca. Com a exclusão de Pipi, Paulo Bento reactivará, no meio-campo, a fórmula aplicada há quase duas semanas na parte final do encontro com o Leixões, combinando um quarteto saído da forja da formação: Adrien, Pereirinha, Miguel Veloso e João Moutinho. Duas vezes titular até aqui nesta edição da Liga Sagres, Adrien apareceu pela primeira vez no onze leonino na partida com o Belenenses (18.ª jornada), uma opção determinada pela indisponibilidade de última hora de João Moutinho, e três jornadas depois reentrou na equipa, frente ao Paços de Ferreira, para realizar mais 90 minutos e assinar outro desempenho promissor, tendo saído – ele e o colectivo – vencedor de ambos os compromissos. Agora, fruto da mazela de Izmailov e da insuficiente actuação de Romagnoli no jogo com a Naval, o jovem que chegou a estar “encaminhado” para o Chelsea está lançado para ocupar uma posição na linha média. E é muito provável que, pelo menos de início, seja ele o eleito para interpretar o papel destinado ao elemento mais recuado do sector, funcionando no vértice mais recuado do losango, uma escolha que implicará a derivação de Miguel Veloso para interior-esquerdo, ficando Pereirinha no vértice direito e cabendo a João Moutinho, na zona dez, a dupla função de guardião dos equilíbrios defensivos e principal organizador e impulsionador das saídas rápidas para o ataque. Este figurino táctico não é mais do que uma réplica da solução encontrada em Matosinhos, reunindo quatro unidades com selo da Academia e ainda com idades baixas: 85 anos é quanto dá o somatório dos bilhetes de identidade. Em fase de decisões, com o título e o outro lugar de acesso (indirecto) à Champions por atribuir, Paulo Bento vê-se impedido de recorrer a elementos experientes como Rochemback ou Izmailov – sem esquecer Vukcevic, também lesionado -, tendo de confiar nos mais novos, cuja raça, qualidade e competência estarão à prova, sábado próximo, no D. Afonso Henriques. Outra hipótese táctica admissível com estes recursos seria a de se conceber um meio-campo com elementos em linha. Nesta eventualidade, Adrien e João Moutinho (ou Miguel Veloso) ocupariam a zona central, enquanto Pereirinha se situaria no flanco direito e Veloso (ou Moutinho) encostaria ao corredor esquerdo. Mas, tendo em conta a decisão tomada por Paulo Bento noutros momentos – em particular no referido encontro ganho no terreno do Leixões -, o mais provável é o treinador dar corda ao losango.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: